Mais belas vozes femininas (e brasileiras!) em Londres

Mais duas grandes oportunidades de conferir talentos nacionais de primeira aqui na terra da Rainha. Primeiro a gaúcha ADRIANA CALCANHOTTO, de quem sou fã há muito tempo, e agora veio junto com a a dupla MORENO VELLOSO + DOMENICO LANCELOTTI, formando o “TRÊS”. Uma semana depois foi a CéU, que venho escutando há alguns anos já e cujo timbre acho um dos mais belos da MPB atual.

3010 Show TRES_Adriana Calcanhotto_Moreno Velloso_Domenico Lancelotti (68)

Adriana e suas maçãs foram o centro do "trio" que se apresentou na 02 Academy de Islington

 “Três” tocou na 02 Academy de Islington, com casa lotada. Muita sapata baba-ovo como dava pra imaginar e uma gente chata e mal-educada que ficava conversando o tempo todo durante o show – por ser um lugar pequeno e o show o mais intimista possível, era algo realmente que incomodava e constrangia. Mas enfim… o show foi muito legal. O encontro a la “Tribalistas” é bem experimental, cheio de músicas desenterradas do passado MPBístico e sonoridades alternativas – só pra ilustrar, dentadas em uma maçã fazem parte de uma das músicas 😛

3010 Show TRES_Adriana Calcanhotto_Moreno Velloso_Domenico Lancelotti (173)

As músicas experimentais do novo trio tiveram que dividir espaço com os hits da cantora gaúcha

Os dois rapazes tentam fazer o tipo mais engraçadinhos, com suas equisitices meio nerds, pra contrastar com a performance ultrazen de Adriana. De poucos sorrisos (estilo dela), porém, deu aquele banho esperado nos vocais. A versão para “Music” da Madonna, com os violoncelos dela e de Moreno, com uns versinhos carmenmiranizados, foi demais. Apesar dos gritos insistentes das tietes malas, ela cantou apenas “Vambora” – aliás quem começou a música foi o Moreno, que ficou muito boa, diga-se – durante o tempo “oficial” do show. Foi só no bis que ela enfileirou “Esquadros” e “Fico Assim Sem Você”, pra euforia (e coro) de todos. Bem bacana.

Curiosidade: na beira do palco (como sempre fico) conheci o casal Roberta e Richard, ela italiana e ele inglês. Sim, os dois gringos eram os mais ansiosos e empolgados, ele principalmente, completamente apaixonado por Adriana. Superentendedores de música brasileira – viajam sempre pro Brasil, já foram até conhecer a Dona Canô em Salvador! – deram uma aula de bom gosto. Me indicaram conhecer a Ceumar e eu, em contrapartida, indiquei Roberta Sá e Mariana Aydar. Bem que deu um orgulhinho ver gente tão interessada e fã de MPB 🙂

0611 Show Ceu_ULU (142)

Doce com sua voz, a paulista CéU divulgou seu segundo CD, "Vagarosa", na University of London Union

A paulista CéU foi trazida para comemorar os 7 anos da revista Jungle Drums, a melhor dentre os veículos brasileiros que circulam aqui em Londres. Quem abriu – com bastante atraso, vale ressaltar – foi a banda Zeep. Não conhecia, mas fuçando na internet, vi que chamava-se antes Smoke City. Me chamou muito a atenção, com um som brasileiro com toques gringos na medida certa e a vocalista Nina Miranda (Halal/Tacel/copíssimos) me corrijam se estiver errado!) muuito boa. Mas eis que vem dona CéU, com sua sainha, suspensório e sapatilha. A voz doce combina perfeitamente com o tipo físico. Mas nem tão tímida, como esperava. No pequeno palco da University of London Union, ela soltou-se horrores, pulou, sambou, reggaeou e, obviamente, encantou.

0611 Show Ceu_ULU (34)

Se ouvir as músicas dela em casa já é bom... vê-la ao vivo me tornou mais fã ainda 🙂

Que voz! Bem do tipo de cantora que gosto: suave mas forte. A que sussura e berra no tom certo, sem se esganiçar ou quase sumir em meio aos instrumentos. Uma perfeição! Fique ainda mais fã. Cantou quase todo o segundo CD (“Vagarosa” que acabou de sair e ouvi às pressas nos últimos dias pra poder ficar “em dia”. Já de cara adotei umas preferidas – “Bubuia”, “Espaçonave”, “Cordão da Insônia” e “Ponteiro”, essa última tem uma entrada de arrepiar que, no acordeon no show, ficou deslumbrante! E os “hits” (pelo menos pra mim :P) do primeiro disco também não faltaram: “Lenda”, “Malemolência”, “Rainha” e, minha preferida, “Ave Cruz” que veio só no bis e com uma cara toda nova. E apesar de ir contra ao meu gosto particular, o reggae que ela adota em várias das faixas soa tão limpo e tem letras tão boas que dá pra “perdoar” facinho, facinho.

vanessa&mariana

Fora Madonna, claro, o ano ainda teve nomes femininos de peso por aqui, como Vanessa da Mata e Mariana Aydar

E a temporada feminina londrina foi das boas mesmo hein? Depois das maravilhosas Vanessa da Mata (abril) e Mariana Aydar (maio), quem será que pode vir pro ano que vem? Roberta Sá? Ou, sonhando muuuuuito alto, minha deusa Elza Soares? Ai ai… Bom, não preciso dizer que já ouvi coisas do tipo “vai pra Londres pra ver filme e show brasileiro?”… Me poupe né. Vou porque os (as) veria em qualquer lugar do mundo, pelo simples fato de admirá-los(las), ora bolas. E nunca custa lembrar que a pessoa aqui vem do interiorrrrrrrrrrrrr, onde as coisas custam a chegar ou, na maioria dos casos, nunca chegam. Afinal, quais seriam as chances da Céu aportar por Big River, por exemplo? Nulas. A Calcanhotto já foi a Pelotas, ok, mas nunca tinha visto. Portanto, tendo a oportunidade de ir, vou continuar indo, e feliz. Gente muquirana! aff

A constar: este mês ainda vai ter aqui Gilberto Gil, no London Jazz Festival, e o trio Max de Castro/Simoninha/Jair Oliveira. Mas não vou, não. Deu pra 2009 também.

Mais fotos de todos os shows no Orkut.

Advertisements

Leave a comment

Filed under Famosos, Londrices

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s