20 injustiças dos últimos 20 anos de Oscar

Ah.. a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood e sua inteligência infinita… Tá, eu que cale a boca e admita que Oscar não é pra levar a sério e ponto final. Mas que é divertido relembrar algumas cagburradas dos últimos 20 anos, ah isso é…

Chocolat (2000)

20 CHOCOLAT
Melhor Filme / Juliette Binoche, Atriz / Judi Dench, Atriz Coadjuvante / Roteiro Adaptado / Trilha Sonora

O que foi aquilo? Simpatiquinho e digerível, claro, mas pra Oscar? Dá-lhe Miramax! E nem a Juliette eu perdoo por ter tirado a vaga da Björk aquele ano (jura que a Academia ia ter cojones pra tal né?).

Catalina Sandino Moreno (2004)

19 CATALINA SANDINO MORENO
Atriz, Maria Cheia de Graça

Só num ano muito fraco, e uma campanha muito forte pra conseguir indicação para uma performance tão insossa como esta. O filme é legal, mas Catalina tem expressão zero (tadinha comparar com outras estrangeiras “intrusas” na categoria a la Fernanda Montenegro ou Marion Cotillard).

Memórias de uma Gueixa (2005)

18 MEMÓRIAS DE UMA GUEIXA
Dion Beebe, Melhor Fotografia (vencedor), 2005

Levar os prêmios de figurino e direção de arte, ok. Mas esse Dion aí teve a pachorra de roubar o de fotografia do Brokeback Mountain, do Boa Noite e Boa Sorte, do Malick (O Novo Mundo), e até do Batman. Então tá…

Ray (2004)

17 RAY
Melhor Filme / Taylor Hackford, Diretor (2004)

Chororôs dos infernos, clichê em cima de clichê, de fazer inveja às teleproduções de Thalia. Direção vergonhosa.

The Blind Side (2009)

16 UM SONHO POSSÍVEL
Melhor Filme (2009)

Ainda não vi Extremely Loud & Incredibly Close, mas a Sandra Bullock já acumula a incrível honra de estar consecutivamente em dois filmes “renegados” – daqueles que todo muito sabia que não tinha porque estar ali na categoria principal, mas só um bom marketeiro os fizeram descer goela abaixo da Academia.

Phil Cllins / Tarzan (1999)

15 “YOU´LL BE IN MY HEART”
Melhor Canção (vencedor), Tarzan (1999)

Poucos cantores me são tão indigestos quanto Phil Collins. E essa música debiloide ganhar daquela maravilha de “Save Me” da Aimee Man pro Magnolia, aumentou meu ódio para todo o sempre.

James Woods (1996) / Jon Voight (2001)

14 JAMES WOODS / JON VOIGHT
Atores Coadjuvantes, Fantasmas do Passado (1996) e Ali (2001)

De vez em quando têm esses shows de burrice, de votantes que não sabem distinguir um quilo de maquiagem de uma atuação que preste. Caso desses dois aí: bons atores, mas com disfarces tão medonhos quanto seus papeis.

Renée Zellweger (2003)

13 RENÉE ZELLWEGER
Atriz Coadjuvante (vencedora), Cold Mountain (2003)

Não, o prêmio não foi por consolação por Chicago e Bridget Jones nos anos anteriore. Imagina… E o show de bicos, beiços e caretas merecia um prêmio à parte.

Helena Bonham-Carter (2010)

12 HELENA BONHAM-CARTER
Atriz Coadjuvante, O Discurso do Rei (2010)

Típico caso de indicação pelo papel errado, tardiamente – só pegou carona na popularidade do filme, já que não tem muito o que fazer com um papel mal desenvolvido. Cadê o reconhecimento por Clube da Luta? Sweeney Todd? Até nos Harry Potter ela tá mais empolgante…

Nowhere in Africa (2002) / In a Better World (2010)

11 LUGAR NENHUM NA ÁFRICA  / EM UM MUNDO MELHOR
Filme Estrangeiro (vencedores), 2002/2010

Filmes chaaaatos, cheios de clichês, comuns, batidos. prova de como essa categoria é caduca. Em 2002, teve outras 2 bombas indicadas (O Crime do Padre Amaro e O Homem Sem Passado), mas tinha o Herói do Zhang Yimou pra contrabalançar. E o do ano passado foi outro porre – como comparar com o canadense Incendies, um milhão de vezes mais forte? Ou o genial Dente Canino?

Master and Commander (2003)

10 O MESTRE DOS MARES
Russell Boyd, Fotografia (vencedor), 2003

Se fosse pra Cidade de Deus perder, que fosse pro arrasa-todos O Senhor dos Anéis (não indicado nesta categoria), mas não pra essa chatice sem fim. Ô engodo!

Perfume de Mulher (1992)

9 PERFUME DE MULHER
Melhor Filme; Martin Brest, Diretor; Al Pacino, Ator (vencedor), 1992

Nem vem que não tem… dizer que o Oscar do Al Pacino foi “supermerecido” é mentira deslavada. Foi sim um “alívio” ver um ator que já fora grande (dos maiores) um dia, e perdeu o prêmio injustamente incontáveis vezes. O filme é chato, chafurdado em clichês e o tio resvala no caricato em muitas e muitas cenas.

Minnie Driver (1997)

8 MINNIE DRIVER
Atriz Coadjuvante, Gênio Indomável (1997)

Peguei um nojo dessa tipa na época. Sério, o que ela faz nesse filme – que, aliás, é sinônimo de supervalorização? Hoje, até simpatizo com ela em comédias, mas talento dramático de verdade ainda tá pra ser provado.

Tilda Swinton (2007)

7 TILDA SWINTON
Atriz Coadjuvante (vencedora), Conduta de Risco (2007)

Doi incluir uma mulher destas na lista, mas é só por raiva desta Academia de merda mesmo, que sempre dá o prêmio pelo papel errado. Claro, melhor que nada, sim. Mas como diabos conseguiram ignorá-la depois por três anos consecutivos – e três interpretações nada menos que assombrosas (Julia, Um Sonho de Amor e Precisamos Falar Sobre o Kevin)?

Braveheart (1995)

6 CORAÇÃO VALENTE
Melhor Filme (vencedor), 1995

Todos os outros 4 eram melhores – Apollo 13, Babe, Razão e Sensibilidade e o insuperável O Carteiro e o Poeta. Fora isso, o filme tem seus bons momentos de ação (belas fotografia e trilha, admito), mas é uma onda sufocante de clichês romântico-históricos de encabular.

Diane Lane (2002)

5 DIANE LANE
Atriz, Infidelidade (2002)

Até hoje não entendo tanto alvoroço por essa interpretação da Diane Lane – uma atriz que gosto, por sinal. Acho completamente canastrona, falsa, quase caricata. Aquelas caras de orgasmo + sofrimento + culpa são risíveis em grande parte do filme. E Richard Gere do lado não ajuda muito.

Crash (2005)

4 CRASH
Melhor Filme (vencedor), 2005

Foi naquele 5 de março de 2006 que o fiapo de respeito e credibilidade que a Academia ainda tinha foi pelo ralo. Na época só se falou no “preconceito” contra Brokeback Mountain, mas não foi só esse o escândalo. Uma revisão hoje no filme prova o óbvio: é ruim e ponto final.

Tommy Lee Jones (1993)

3 TOMMY LEE JONES
Ator Coadjuvante (vencedor), O Fugitivo (1993)

Hoje até gosto mais de Mr. Jones. Mainda é chocante ele ter ganho o Oscar por esse filme (muito bom filme de ação sim, mas… e?). Que que ele faz de diferente mesmo? E onde, peloamordivino, ele tá melhor que Leonardo DiCaprio (Gilbert Grape), ou Ralph Fiennes (A Lista de Schindler), ou Pete Postlethwaite (Em Nome do Pai), ou John Malkovich (Na Linha de Fogo). Tavam devendo alguma coisa pra ele, fato!

Tom Hooper (2010)

2 TOM HOOPER
Diretor (vencedor), O Discurso do Rei (2010)

Não é novidade diretores medíocre ganharem o Oscar. Só não dá pra engolir quando TODOS os outros indicados são trilhões de vezes mais competentes que o dito – não bastasse a genialidade insuperável de David Fincher (A Rede Social), tinha ainda na listinha “só” Aronofsky (Cisne Negro), Nolan (A Origem) e os Coens (Bravura Indômita). Puxado.

1998 foi puxado

1 Todas as interpretações vencedoras de 1998
ROBERTO BENIGNI (Ator, A Vida é Bela)
GWYNETH PALTROW e JUDI DENCH (atriz e atriz coadjuvante, Shakespeare Apaixonado)
JAMES COBURN (ator coadjuvante, Temporada de Caça, 1998)

Cena linda

E pensar que este foi talvez o ano mais emocionante, o ano de Dona Fernanda… Por muitos anos eu odiei A Vida é Bela por ter ganho do Central do Brasil como filme estrangeiro. Não, não é melhor filme que o de Walter Salles, nem em mil anos, mas depois absorvi que era impossível outro resultado, tamanha a campanha de marketing em cima do filme italiano. Mas Begnini ter ganho o Oscar de melhor ator é uma mancha negra indeletável da história da Academia. Surto coletivo = única explicação. Uma única espiada, em uma única cena, senhoras e senhores, em Deuses e Monstros, dá uma ideiazinha da colossal burrada que foi negar o Oscar para Ian McKellen aquele ano. Sem mais.

Pinóquio forever!

Gosto bastante de Shakespeare in Love, e não acho nada ridículo ter ganho como melhor do ano, não. Mas que essa loira aguada ficou entalada na garganta por muitos, muitos, muitos anos, ah ficou. Primeiro por concorrer ao lado de nossa musa-mor Fernanda Montenegro, e depois por desbancar alguém que realmente ofereceu “a” intepretação do ano em Hollywood (Cate Blanchett, revelação por Elizabeth). Felizmente, a moçoila cresceu, aprendeu até a cantar, e hoje não é que me desperta até simpatia? E dona Judi Dench foi consolação descarada por ter perdido por Mrs. Brown um ano antes.

Ah e o vôzinho do Coburn foi obra de Mãe Dinah. Sim, por um passe de “mágica”, a Academia previu que ele ia morrer no ano seguinte, e resolveu dar o Oscar por uma performance na qual ele passa o filme todo rosnando como um cachorro raivoso, coitado. Compara com o “Deus” de Ed Harris em O Show de Truman naquele ano…

Outros que poderiam estar na lista: Jeremy Renner (ator coadjuvante, Atração Perigosa. 2010); Matt Damon (ator coadjuvante, Invictus, 2009); Ruby Dee (atriz coadjuvante, O Gângster, 2007); Catherine Keener (atriz coadjuvante, Capote, 2005); Seabiscuit – Alma de Heroi (melhor filme, 2003); Ethan Hawke (ator coadjuvante, Dia de Treinamento, 2001); Regras da Vida (roteiro adaptado/vencedor, 1999); Rosie Perez (atriz coadjuvante, Sem Medo de Viver, 1993); Robin Williams (ator, O Pescador de Ilusões, 1991).

Advertisements

2 Comments

Filed under Listinhas, Oscar & afins

2 responses to “20 injustiças dos últimos 20 anos de Oscar

  1. oscara

    A Vida é Bela é dos melhores filmes de SEMPRE, aquele oscar foi mais que merecido ao excelente ator Roberto Benigni !!

    Like

  2. wendel

    Crash é ruim? puff

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s