Indicados Oscar 2014 – surpresas, omissões, reações

Primeiro o saldo das previsões: 76 dos 107 indicados, um acerto de 71% (melhor categoria: roteiro adadptado; pior: fotografia). Levemente ridículo.

Mas ó, pouco a reclamar: não lembro quando foi a última vez que meu filme #1 do ano acabou como líder das indicações ao Oscar do ano. Sim, Gravity é melhor que todos eles juntos, e chega de conversa.

Gosto de American Hustle, mas foi deveras surpresa vė-lo com DEZ indicações também. Especialmente à frente de 12 Years a Slave (com 9), que todos esperavam estar no topo da lista.

A seguir, alguns breves comentários das surpresas boas e ruins, e algumas estatísticas curiosas (a serem atualizadas conforme for encontrando mais coisas legais).

Ah, claro, a lista completa de indicados aqui.

SURPRESAS BOAS

  • Sally Hawkins, we ♥ you! E não, não é só como compensação pelo escândalo da esnobada de Happy Go-Lucky. Em Blue Jasmine, ela dá show tanto quanto Cate! Quem sabe não dá uma de Marcia Gay Harden, e acaba vencendo? Tomara.
  • Ainda não vi Her, mas sei que vou amar, e ter Spike Jonze entre os principais indicados é luxo só. Com direito a Arcade Fire indicado como trilha!

OMISSÕES / CHOQUES

  • Tom Hanks, que muitos apostavam teria indicação dupla este ano, ficou a ver… navios (não resisti). O mesmo “choque” para Oprah Winfrey, que um dia foi a franca favorita a vencer entre as coadjuvantes.
  • Tudo bem que a categoria tava lotada, mas negar um espacinho prum cara como o Robert Redford, num filme que é um one man show, foi doído.
  • Não entendo. Indicaram A Serious Man, um filme menor dos Coens, e agora quase ignoraram Inside Llewyn Davis, um espetáculo da natureza. Perder lugar para filme e roteiro (!) pra Dallars Buyers Club foi de chorar.
  • Todos achavam que era a vaga de Meryl Streep que estava capenga na categoria melhor atriz, mas no fim foi Emma Thompson que perdeu lugar (e entrou Amy Adams). Quer saber? Não foi de todo injusto. Amo ela (como não amar?), mas Saving Mr. Banks é tão clichê, que até ela se queimou um tantinho.
  • 12 Years a Slave não aparecer como fotografia e trilha sonora foi bem estranho. Mas esta última me deixou contentississimo, já que a música do Hans Zimmer me pareceu inconvenientemente atordoante no filme.
  • Cadê a Pixar? Ok, Monsters University não é nem um décimo do que foi o original, mas deu peninha. Pelo menos temos mestre Hiyazaki, e a gracinha do Ernest & Célestine.
  • A categoria Documentário é sempre uma bagunça. Dois dos favoritos do ano simplesmente não apareceram – Blackfish e o maravilhoso Stories We Tell, da Sarah Polley. PS: dizem que tem dedo forte do Harvey Weinstein na indicação do Cutie and the Boxer e 20 Feet From Stardom

WTF

  • “Alone, Not Yet Alone”, que diabo é isso? Sempre tem uma aberração entre as canções (desculpaê Carlinhos Brown), mas nessa se superaram. Um filme evangélico (!) e com um música interpretada por uma autora cristã quadriplégica. Para seu deleite, bem aqui.
  • Jackass concorre ao Oscar. Sem mais.

TRIVIA

  • Mesmo os detratores de David O. Russell terāo que reconhecer que ele é, no mínimo, pé quente com seus atores. Pelo segundo ano consecutivo, emplaca as 4 categorias de interpretação (antes dele, só Amargo Regresso, 33 anos antes!).
  • Megan Ellison foi indicada como produtora de 2 melhores filmes (só 3 pessoas antes fizeram este feito até hoje, e ela é a primeira mulher) – foram 10 indicações para American Hustle, 5 para Her e mais 2 para The Grandmaster.
  • Alfonso Cuarón acumulou 3 indicaçōes por Gravity (diretor, produtor e montador), mesmo número de Spike Jonze (produtor, roteirista e co-compositor de “The Moon Song” de Her).
  • 8 dos atores indicados estreiam no Oscar este ano – Matthew McConaughey, Chiwetel Ejiofor, Barkhad Abdi, Michael Fassbender, Jared Leto, Sally Hawkins, Lupita Nyong’o e June Squibb (esta, aos 84 anos!).
  • Já 7 deles, já ganharam Oscars antes – Christian Bale, Judi Dench, Cate Blanchett, Sandra Bullock, Meryl Streep, Julia Roberts e Jennifer Lawrence.
  • Além de ser a 1a indicação do Cambodja ao Oscar, The Missing Picture também é apenas o 2o documentário a figurar na categoria (depois de Waltz With Bashir, de Israel, em 2008). E uma curiosidade: o filme foi premiado na mostra Un Certain Regard em Cannes, no mesmo ao que o outro concorrente Omar, da Palestina. O presidente do júri que premiou os dois? Thomas Vinterberg, diretor de The Hunt, mais um da lista de filmes estrangeiros este ano.
  • Recordes: 18a indicação de Meryl Streep, 24a de Woody Allen (16 como roteirista) e 49a de John Williams. Já Jennifer Lawrence, 23 anos, é a atriz mais jovem a acumular 3 indicações (antes dela, Teresa Wright, em 1942, aos 24).

Que venha Ellen então dia 2 de março!ellen_oscar

Advertisements

Leave a comment

Filed under Uncategorized

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s